Fraude e burlas – Revolut

Os criminosos recorrem a técnicas cada vez mais sofisticadas para roubarem dinheiro. À medida que os vigaristas e os burlões vão ficando mais inteligentes, fica cada vez mais difícil para os clientes identificarem-nos e o risco de serem enganados aumenta. A Revolut revê constantemente os sistemas de prevenção de fraude e burlas da empresa, além de desenvolver e implementar em permanência novas soluções para combater as técnicas mais recentes e proteger os nossos clientes. Nesse sentido, os nossos clientes também desempenham um papel importante na prevenção contra fraude. Esta página destaca o que fazer se suspeitar ter sido vítima de vigaristas e inclui informações sobre as técnicas mais recentes de fraude e burlas, bem como detalhes sobre a proteção que a Revolut lhe pode oferecer.

Foi vítima de fraude?

Detetou alguma atividade suspeita na sua conta? Deu dados pessoais ou enviou dinheiro para alguém que suspeite não ser quem dizia que era? Aja rapidamente:
  • Bloqueie os seus cartões na app Revolut;
  • Entre em contacto com o serviço de apoio ao cliente através do chat na app. Toque no seu ícone perfil no canto superior esquerdo e, em seguida, toque em Ajuda. Por fim, toque em Nova conversa. Informe o serviço de apoio ao cliente de que poderá ter sido vítima de um crime financeiro;
  • Em seguida, iremos ajudar e aconselhar em relação aos próximos passos a tomar.

Explicação em matéria de fraude e burlas

  • Fraude

    Por norma, ocorre quando os criminosos usam determinadas técnicas para obter detalhes da sua conta ou dados do seu cartão e efetuar operações sem o seu conhecimento.

  • Burlas

    Regra geral, acontece quando os criminosos enganam o utilizador e o convencem a efetuar uma operação que este suspeite ser verdadeira, mas que, na verdade, tenha os criminosos como destinatário. Por norma, acontece quando fingem ser alguém que não são.

Técnicas de fraude e burla mais recentes

Os criminosos têm recorrido a técnicas sofisticadas para enganar as pessoas e lhes roubar o dinheiro que tanto lhes custou a ganhar. Apresentamos aqui uma lista (não extensiva) de algumas técnicas de fraude e burla implementadas pelos criminosos.

Fraude por pagamento push autorizado (APP, do inglês "authorised push payment") ou burla por transferência bancária
O tipo de fraude APP ocorre quando os criminosos enganam o utilizador ou o persuadem a transferir dinheiro para outra conta, tendo aumentado drasticamente desde o início da pandemia. As formas mais comuns são:
  • Burlas de investimento, em que os criminosos convencem as vítimas a transferirem dinheiro para um fundo falso ou a efetuarem um pagamento para um investimento fictício;
  • Burlas de caridade, em que os burlões se aproveitam da amabilidade das vítimas e convencem-nas a doar para uma causa que lhes fale ao coração, mas, em vez disso, os fundos vão diretamente para eles;
  • Burlas de amor, em que os criminosos afirmam ter um interesse romântico nas vítimas e se aproveitam das suas emoções para as convencer a enviar-lhes o seu dinheiro;
  • Burlas de falsificação, em que os burlões fingem pertencer a uma organização, como um banco, uma empresa de serviços públicos ou uma autoridade fiscal. Poderão dizer às vítimas que existe algo de extremamente errado e que precisam de transferir dinheiro. Muitas vezes, irão reforçar a necessidade de agirem rapidamente ou a existência de um determinado prazo para responderem em conformidade.
Fraude com cartões
A fraude com cartões ocorre quando os criminosos usam dados de cartões de débito ou crédito roubados para roubar dinheiro. Existem vários tipos de fraude com cartões. As formas mais comuns são:
  • Fraude por compras efetuadas à distância ou cartão não presente (CNP, do inglês "card not present"), em que os criminosos usam dados de cartão roubados para efetuar compras online, por telefone ou e-mail;
  • Fraude de cartão perdido ou roubado, em que os criminosos usam um cartão de crédito perdido ou roubado para efetuar compras ou levantar dinheiro no multibanco;
  • Fraude por roubo de documento de identificação ou usurpação de conta (ATO, do inglês "account takeover"), em que os criminosos usam dados de cartões roubados e dados pessoais para abrir ou para se apropriarem de uma conta detida no nome de outra pessoa.
Fraude de apoio remoto ou instalação de software
Este tipo de fraude ocorre quando os criminosos pedem às vítimas para transferirem software, por norma através de uma app móvel ou de computador que, por norma, permite aos criminosos verem o seu ecrã ou controlarem o rato, para acederem à sua conta online ou na app e transferirem dinheiro. Muitas vezes, os vigaristas recorrem a aplicações de software de acesso remoto para controlarem as aplicações bancárias e financeiras das vítimas.

Fraude alfandegária/de taxa de entrega
Os burlões sabem que as vítimas são viciadas em compras online e que, por norma, têm entregas a caminho. Irão enviar uma mensagem a fingir que tem uma encomenda presa na alfândega ou que a entrega de uma encomenda não foi bem-sucedida para convencer as vítimas a facultarem dados pessoais importantes.

Fraude de CEO
As empresas também podem ser vítimas de fraude. A fraude de CEO é uma forma cada vez mais popular de os criminosos persuadirem as empresas a transferir fundos de forma ilícita. Os burlões fingem ser o CEO ou outro dirigente empresarial sénior de uma organização e convencem as vítimas a efetuar pagamentos, mais uma vez, reforçando a urgência da operação.

Como protegemos os nossos clientes

Com a evolução rápida de novas burlas cada vez mais sofisticadas, a Revolut tem sido rápida a desenvolver novas soluções de combate à mais recente tecnologia de fraude e burla.

Apresentamos aqui algumas das formas que permitem à Revolut detetar ou impedir que os vigaristas acedam ao seu dinheiro:
  • Para nos certificarmos de que o utilizador é quem afirma ser, os clientes que acederem à Revolut através da app móvel devem indicar um PIN/código OU dados biométricos (por exemplo, impressão digital ou reconhecimento facial) E um código de utilização única que é enviado por SMS sempre que necessário;
  • Os clientes que enviarem dinheiro com a Revolut através da app no computador passam por um processo de autenticação através do envio de uma notificação para a app móvel. Em seguida, o cliente confirma o início de sessão através da app móvel para o pagamento poder avançar;
  • Ao efetuar compras online, se a operação for solicitada pelo comerciante, enviamos uma notificação a pedir ao utilizador para abrir a app e confirmar o pedido para o pagamento poder avançar;
  • Ao enviar fundos para um novo destinatário, iremos pedir para confirmar que conhece e confia no destinatário dos fundos em questão para a operação poder avançar. Se detetarmos que o pagamento poderá ser uma burla, iremos enviar avisos na app, que nunca deverão ser ignorados;
  • Também oferecemos funcionalidades exclusivas, como cartões virtuais descartáveis (é possível utilizar cartões virtuais de utilização única para efetuar compras online. Depois de pagar, os detalhes são eliminados para que os cartões não possam ser alvo de fraude ou reutilizados por criminosos);
  • Permitimos a análise de operações na app e o bloqueio imediato de operações suspeitas e do cartão relevante (que os clientes podem desbloquear de imediato se considerarem seguro, em vez de pedirem um cartão novo);
  • Por último, lembre-se de que nunca iremos contactar através de chamada telefónica sem antes nos identificarmos;
  • Analise cuidadosamente os alertas e as informações que lhe facultamos quando o sistema de segurança automático identifica uma atividade suspeita de fraude. Avalie a situação antes de tomar uma decisão e, em caso de dúvidas, não hesite em entrar em contacto connosco.

Dicas e ferramentas de proteção

  • Nunca ignore os avisos da app, em especial se alguém exercer pressão sobre si, dizendo que tem de fazer algo com urgência ou recomendando que ignore os avisos;
  • Suspeite sempre de preços ou ofertas que são "demasiado bons para ser verdade";
  • Compre junto de retalhistas com reputação e que sejam de confiança. Em regra, os URL destes sites devem começar por https e não http. Procure um ícone de cadeado antes do nome do site, o que indica que o mesmo está protegido por um certificado digital;
  • Nunca divulgue PINs, palavras-passe, palavras-passe de utilização única ou dados pessoais por telefone ou chat de apoio online;
  • Consulte análises online para verificar se os sites e vendedores são genuínos e peça para ver artigos de valor significativo em pessoa ou por vídeo, bem como cópias da respetiva documentação para garantir que o vendedor é, de facto, o proprietário do artigo;
  • Compre artigos de marca da lista de vendedores autorizados nos respetivos sites oficiais;
  • Aceda sempre ao site onde pretende efetuar compras ao introduzir o nome diretamente no browser web. Não siga ligações de e-mails ou textos não solicitados;
  • Certifique-se sempre de que termina sessão nos sites;
  • Lembre-se de que os vigaristas poderão pedir para efetuar o pagamento por transferência bancária em vez de efetuar o pagamento com cartão;
  • Se receber uma mensagem da Revolut a informar que o beneficiário não corresponde, interrompa a operação e investigue o sucedido.

Ligações úteis