Como podemos ajudar?

Como posso proteger-me de fraude?

Uma fraude ocorre quando se utiliza um estratagema para ganhar vantagem de forma desonesta, muitas vezes a nível financeiro, sobre outra pessoa. Existem vários termos associados a situações de fraude: burla, falcatrua, embuste, extorsão, farsa, traição, aldrabice, trapaça, manipulação, artimanha, ato de má-fé.

O relatório de 2019 sobre o custo financeiro devido a casos de fraude estima que, no Reino Unido, este custo se encontra entre 130 e 190 mil milhões de libras esterlinas por ano. O Instituto Nacional de Estatísticas Britânico afirma que há uma maior probabilidade de as pessoas serem vítimas de fraude ou ciberataques do que de qualquer outro crime.

Esquemas de fraude mais populares:

Os esquemas de adiantamento de taxas acontecem quando a vítima efetua o pagamento em dinheiro a alguém antes de receber algo de valor superior, como um empréstimo, contrato, investimento ou presente e, em seguida, recebe pouco ou nada em troca.

A fraude empresarial consiste em atividades levadas a cabo por um indivíduo ou empresa de forma desonesta ou ilegal concebidas para que a pessoa ou o estabelecimento que a comete ganhe vantagens.

Os esquemas de fraude com instituições de caridade procuram donativos para organizações que fazem pouco ou nenhum trabalho. Apesar de estes esquemas poderem acontecer em qualquer altura, são mais comuns depois de catástrofes de grande dimensão.

A fraude com cartões de crédito diz respeito à utilização não autorizada de um cartão de débito ou crédito ou de um número de cartão para obter dinheiro ou propriedade de forma fraudulenta.

O roubo de identidade acontece quando uma pessoa assume a identidade de outrem para efetuar uma fraude ou outro ato criminoso.

A fraude na Internet é a utilização de serviços ou software na Internet com acesso online para enganar vítimas ou de alguma forma tirar partido delas.

A fraude em investimentos é uma oferta através da utilização de reivindicações falsas ou fraudulentas para solicitar investimentos ou empréstimos ou fornecer fundos para a compra, utilização ou negociação de títulos contrafeitos ou falsos.

As fraudes com cartas nigerianas combinam a ameaça de fraude de usurpação de identidade com uma variação de esquema de adiantamento de taxas, nas quais uma carta, ou um e-mail, enviados da Nigéria oferecem ao destinatário a "oportunidade" de receber uma percentagem dos milhões de dólares que o remetente, dizendo ser um oficial do governo, está a tentar transferir ilegalmente para fora da Nigéria.

Os esquemas de pirâmides/Ponzi, onde o dinheiro recolhido de recentes vítimas de esquemas de pirâmide é pago às novas vítimas para aparentar que se trata de um negócio legítimo. No entanto, nos esquemas de pirâmide, as próprias vítimas são levadas a recrutar mais vítimas através do pagamento de comissões de recrutamento.

Os esquemas de hipoteca inversa são elaborados por profissionais sem escrúpulos numa grande variedade de serviços financeiros e imobiliários e empresas relacionadas para roubar o capital da propriedade de cidadãos idosos desprevenidos ou utilizar estes cidadãos para ajudar involuntariamente os autores da fraude a roubar capital de uma propriedade invertida.

O que posso fazer para evitar a fraude?

1. Tenha consciência das várias formas como as pessoas fraudulentas podem entrar em contacto consigo.

Sabemos que os criminosos:

Telefonam às pessoas no Reino Unido e em outros países;

Utilizam sites para oferecer serviços falsos;

Utilizam endereços de e-mail que parecem oficiais, mas não são.

2. Tenha consciência dos truques que podem ser utilizados.

Os criminosos tentam que a pessoa acredite que lhes pode oferecer algo muito facilmente, como um visto para o Reino Unido, ou que existe um problema com o seu registo ou o visto.

Vão tentar que acredite que fazem parte da empresa em questão e até podem utilizar determinadas expressões que podem iludir a pessoa a pensar que são realmente funcionários da mesma. Podem inclusive dar a entender que sabem informações sobre si, como o seu nome e a sua morada ou o facto de ter solicitado um visto. E, em seguida, podem pedir-lhe dinheiro ou informações pessoais.

3. Como se proteger

Deve suspeitar de algo:

Se o que oferecem for demasiado bom para ser verdade, como um emprego fácil no Reino Unido ou uma forma de obter um visto para o Reino Unido de forma fácil e rápida;

Se lhe pedirem dinheiro, principalmente se lhe pedirem em numerário ou através de métodos de pagamento inseguros, como transferência de dinheiro, voucher Ukash ou Paysafecard (que compra numa loja). Estes métodos não permitem rastrear o destinatário;

Se lhe pedirem os dados do cartão de crédito ou da sua conta bancária ou informações confidenciais;

Se exigirem segredo ou tentarem que faça algo imediatamente;

Se o site não parecer profissional (estiver mal escrito ou mal programado) ou se não incluir qualquer informação sobre a organização;

Se lhe pedirem para responder para uma conta de e-mail gratuita como Hotmail, Yahoo Mail ou Gmail, que também contenha erros gramaticais e ortográficos.

Caso suspeite de fraude:

Não faculte qualquer informação pessoal nem confirme nenhuma das informações pessoais que lhe apresentarem;

Não pague nada;

Não pague através de vouchers eletrónicos.

Artigos relacionados